Anterior


Presidente da Associação dos Oficiais visita Comando da PM

07/03/2017

Anterior

Próxima


2º Chá das Rosas

16/03/2017

Próxima
24/03/2017
Militares se mobilizam contra reforma da Previdência Social

Policiais e bombeiros estão preocupados com as mudanças que virão; pedidos de reserva podem aumentar em MS
Por: Flávio Verão - O PROGRESSO

Foto: Hédio Fazan

Planejamento do governo de incluir militares nas mesmas regras previdenciárias que os demais servidores, com idade mínima de 65 anos para aposentadoria, preocupa a categoria. A reforma previdenciária tem colocado todos os trabalhadores dos setores público e privado em alerta, para não perder benefícios e ter que trabalhar mais tempo. Com isso, pedidos de aposentadoria se multiplicaram e, somente entre os militares de Mato Grosso do Sul, as solicitações podem chegar a 1,6 mil, entre os policiais e bombeiros.

 

A preocupação atinge gestores, associações, especialistas e tem levado as diretorias da Associação Beneficente dos Subtenentes, Sargentos e Oficiais Oriundos do Quadro de Sargentos Policiais e Bombeiros Militares de MS (ABSSMS) e da Associação dos Oficiais Militares Estaduais de Mato Grosso do Sul (AOFMS) a se reunir com Policiais Militares e Bombeiros do Estado para debaterem sobre o andamento da PEC-287/16 (Reforma da Previdência).

 

A proposta de retirar os militares do regime geral da previdência e o planejamento de se criar um outro projeto, específico para a categoria, tem mobilizado a categoria no País. O projeto em separado seria necessário porque os militares não teriam um regime de previdência previsto na Constituição e, portanto, deveria ser criado. As regras, no entanto, seguiriam o padrão dos demais trabalhadores.

 

Os presidentes da ABSSMS, Tenente PM Thiago Mônaco Marques e o presidente da AOFMS, coronel PM Alírio Villasanti, têm realizado palestras ao efetivo sul-mato-grossense sobre o tema "O Militar Estadual na Reforma da Previdência", onde debatem sobre o conteúdo "nocivo" da Proposta de Emenda à Constituição que retira direitos previdenciários dos militares estaduais. Em todo País, as entidades representativas estão mobilizadas com objetivo de esclarecer a sociedade sobre as particularidades da profissão e no Mato Grosso do Sul não é diferente. "Os órgãos de segurança não contam com os mesmos direitos do trabalhador civil, como adicional por conta dos perigos da profissão, horas extras trabalhadas, adicional noturno, FGTS e outros benefícios que garantem a segurança dos servidores", explica coronel Villasanti.

 

A Reforma da Previdência tem gerado desconforto junto à categoria e, por conta disso, os militares com tempo de serviço proporcional almejam recorrer à reserva. "Está ocorrendo em todo Estado e o número de policiais militares pode chegar a 1,2 mil na reserva e, de Bombeiros, a 400", ressalta Vilassanti. Caso isso ocorra, a segurança pública de Mato Grosso do Sul ficaria em risco. Diferentemente dos trabalhadores civis, os militares não são aposentados. Eles permanecem na reserva e podem ser chamados pelo governo, quando houver necessidade, para aproveitar esse efetivo inativo.

 

Expectativa

 

Para as associações, querer tratar os militares na questão previdenciária como os civis, de forma igualitária, é quebrar a lógica jurídica da própria Constituição, violar o princípio da isonomia e negar a história do emprego do militar, na consolidação da democracia. As categorias esperam que o Legislativo e os próprios Governos de Estados corrijam as distorções apontadas e tratem os militares de forma justa e adequada às exigências da carreira.

 

Também pedem que os militares devam ser tratados em legislação apartada e específica, face a condição diferenciada de prestação de serviço ao longo da sua vida, consideradas as peculiaridades de suas atividades, inclusive aquelas cumpridas por força de compromissos internacionais e de guerra, sob pena de, quando dele necessitar, poderá não contar com o seu serviço de forma integral para atender as necessidades de sobrevivência da própria sociedade.

 

Jornal - O PROGRESSO








Deixe seu comentário






Endereço

Rua Wagner Jorge Borttoto Garcia, Nº 2250, Jardim Veraneio
Campo Grande - MS - 79036-050
Tel: (67) 3326-4096/(67) 9 9297-9233 clubedosoficiais@uol.com.br

  • Facebook
  • Twitter
  • Youtube
Newsletter

Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.